Julho | Ilana e a Banda dos Bichos

Julho

Educação Terceirizada

Ser mãe é uma delícia, não é verdade? A gente olha para aquela criança e senti um amor tão grande por tê-la em nossa vida. Um filho traz muitas alegrias, contudo traz também muitas responsabilidades e dúvidas para os pais. Gosto de dizer que não é só o bebê que acaba de nascer e sim que junto a ele nasce uma mãe e um pai. São sentimentos novos, tarefas inéditas enfim uma jornada de muitas emoções e dúvidas.

Avós, babás e escola são ajudantes na formação das crianças e grandes aliados dos pais. Entretanto a responsabilidade de desenvolver uma personalidade saudável cabe aos pais. Sabe-se que a falta de tempo é um marca de nossa realidade e este fator tem levado a terceirização da educação da criança. A escola que antigamente era vista como fornecedora de conhecimento acadêmico hoje tem sido buscada para transmitir educação ética e moral também. Cada dia mais pais para poder se dedicar a sua profissão e resolver problemas do cotidiano tem deixado seus filhos ao cuidado de babás e dos avós ou até de irmãos mais velhos. Esta educação na qual o foco não esta nos pais pode prejudicar o desenvolvimento da criança?

Uma criança precisa de atenção, carinho, dedicação e exemplo. Segundo Henri Wallon ela se desenvolve através das trocas sociais, por meio da imitação. Distantes do exemplo dos pais seus conceitos serão formados através das referências que elas têm por perto – sejam estas pessoas ou programas de TVs. Sabemos que é muito difícil a conciliação de nossas tarefas diárias somados a dar atenção aos nossos filhos. Entretanto, não podemos permitir que este enorme privilégio e prazer passe desapercebidamente em nossas vidas.

Quem não guarda na memória momentos incrível que viveram ao lado dos pais? Eu jamais esquecerei a proteção que sentia debaixo dos braços do meu pai e a semente que ele plantou em mim de sempre ajudar os que precisavam. Também me marcou muito os desenhos que fazia com minha mãe, as brincadeiras de caça ao tesouro e o senso de responsabilidade com meus compromissos que ela sempre me ensinou a ter. Meu pai já é falecido e minha mãe até hoje é minha fiel amiga e conselheira. Quando olho para o meu interior vejo que o convívio com eles e seus exemplos de como viver a vida foram substratos fundamentais para contribuir pra adulta que sou hoje.

A qualidade do tempo que nos dedicamos a nossos filhos estará marcada no coração e no caráter deles para sempre. É preciso acompanhar com quem convive, o que tem aprendido e acima de tudo investir tempo para conhecê-lo. Descobrir o que gosta, o que lhe traz alegria, como interpreta a vida através das suas brincadeiras e desenhos. A cada troca de afeto e a cada momento de paciência para ensina-lo o que é certo e errado pintamos uma estória linda para quem nos é mais precioso.